1º de Agosto vence e Petro escorrega

Os candidatos ao título do Girabola Zap responderam com desempenhos diferentes a chamada do título, antes da primeira paragem do campeonato, que acontece no próximo fim-de-semana, devido aos compromissos dos Palancas Negras. 

Os candidatos ao título do Girabola Zap responderam com desempenhos diferentes a chamada do título, antes da primeira paragem do campeonato, que acontece no próximo fim-de-semana, devido aos compromissos dos Palancas Negras. Não obstante o jogo em atraso, o Petro de Luanda está longe de justificar o rótulo, motivo por que os rivais fardados, 1º de Agosto e Desportivo da Huíla,já aproveitaram para fugir dos tricolores,cujo desperdício é acentuado demais nesse início, cinco pontos em dois jogos.
A chama fraca do Petro de Luanda já dá uma certeza absoluta aos concorrentes directos,quando o Girabola Zap voltar das férias, a equipa de Cosano vai terde ter unhas para se coçar, porque está condenada a fazer um campeonato de recuperação. Os tricolores estão atrasados demais na corrida do título, a preocupação maior não é ver os rivais com mais cinco de vantagem, mas hipotecar tão cedo as contas finais, porque a margem de erro aos poucos começa a ficar curta demais.
Os tropeços do campeão dos campeões agita os adeptos, mas serve de grande motivação para o grande beneficiado, o 1º de Agosto. A derrota com o Progresso não maculou a ambição do penta,porque o maior rival deixou perder uma soberana oportunidade de lucrar com a situação, pelo que os militares têm todas as razões para terem a cabeça no lugar, ainda mais porque mesmo que o Petro vencesse o jogo em atraso com o Progresso, antes da disputa da quarta jornada, ainda continuaria em desvantagem pontual.
A alegria do campeão é real, mas a colheita de pontos está um pouco atrasada, se comparada com a temporada passada.
A diferença está na "inesperada" derrota com o Progresso, o 1º de Agosto terminou o campeonato transacto sem consentir nenhum desaire, assim o revés com os sambilas serviu para acordar mais cedo os militares, a pronta resposta dada no triunfo extramuros no difícil reduto do SagradaEsperança é uma boa prova de que Dragan Jovic e pupilos despertaram para a realidade. O calendário do 1º de Agosto e do Petro de Luanda é quase parecido,mas quando o campeonato regressar, os militares aparentam ter mais "facilidades", embora os adversários sejam quase os mesmos. O momento actual dos eternos rivais, faz o fiel da balança pender para quem tem mais apetite de vitórias, motivo por que os militares dependem mais de si para se manter inalcançável para os tricolores.
As contas finais do título ainda estão na fase inicial, mas, assim como na época passada, o intruso Desportivo da Huíla quer ser tido e achado. Assim como na temporada do brilharete, os militares da Região Sul aparecem cedo demais a reivindicar um estatuto deferente, a campanha actual está melhor do que a anterior,6 pontos contra 4 em 3 jogos.
As estatísticas dão motivos ao Desportivo de continuar de cabeça erguida, pois até agora está a provar que pode andar com os seus próprios pés.O desempenho do Desportivo da Huíla é aceitável demais, tendoem conta o calendário apertado nas jornadas já realizadas, por motivos óbvios, a derrota com o 1º de Agosto parecia previsível, mas na hora da verdade a equipa de Mário Soares soube sempre aparecer para amealhar o que é seu.
A chamada pelos candidatos ainda nem passou da terceira jornada,mas aos poucos já começa a aparecer o desenho final, embora haja ainda muita expectativa para ver o que outras equipas como o Sagrada Esperança, Interclube e Recreativo do Libolo são capazes de fazer, para impedir uma
corrida a três. Todas as equipas acima citadas têm o nome escrito na galeria dos campeões do campeonato,mas a tempestade actual contrasta com a bonança do passado, realmente são competidores que devem sempre ser levados em conta, desde que consigam aparecer no campeonato
com regularidade.