Ernesto Castanheira obtém nova licença

O treinador angolano, Ernesto Castanheira, acaba de ganhar a “Licença A” da FIFA para profissionais do treinamento desportivo, na especialidade de futebol.

O treinador angolano, Ernesto Castanheira, acaba de ganhar a “Licença A” da FIFA para profissionais do treinamento desportivo, na especialidade de futebol, após a conclusãode uma formação realizada no Brasil e coordenada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), com apoio da Confederação Sul-Americana da modalidade (Conmebol).
Com a duração de cerca de quatro anos, teve início em 2014 e terminou no dia 21 do Agosto, o técnico, ao longo deste período, efectuou viagens permanentes aquele país, onde foi submetido a exames presenciais, sobretudo no que concerne a testes práticos.
\"”formação correu muito bem. Foi mais uma etapa da minha qualificação como treinador. É resultado de um curso para treinadores, que decorreu de 2014 à Agosto do ano em curso, sob orientação da Confederação Brasileira. Com a formação obtive a “Licença A” da FIFA, que me habilita a treinar  equipas profissionais”, esclareceu.
Ernesto Castanheira, residente na província do Namibe, e único angolano, entre os recém-formados, com a categoria de nível A, revelou que os alunos formados serão inscritos pela CBF na sua plataforma de técnico habilitados a desempenhar o cargo.
Sublinhou, que a intenção dos organizadores é que estes ganhem visibilidade, para prosseguirem as respectivas carreiras sem sobressaltos e transmitirem, com bastante profissionalismo e propriedade, tudo aquilo que aprenderam.“A formação teve vários módulos e antecede a licença Pro, que é o mais alto nível da formação de técnicos de futebol. Os trabalhos teóricos fiz à distância, a partir do nosso país, mas as provas praticas foram presenciais”, acrescentou.
O treinador destaca, entre outros, a análise de desempenho submetido aos técnicos durante a acção formativa, com objectivo de deixar os profissionais mais próximos daquilo que é a realidade, em virtude de envolver várias tecnologias.
“Em Angola já se faz, apesar de ser diferente de outros países, por escassez de infra-estruturas no nosso país. A análise de desempenho envolve máquinas e uma série de tecnologias, que ajudam a obter resultados muito eficazes. E temos notado que a nova tendência do futebol é a utilização de tecnologias, para desempenharmos as nossas funções com melhor eficiência”, referiu Castanheira.
Questionado sobre a opção pelo Brasil, justificou que deveu-se a enorme abertura oferecida pela CBF aos técnicos de todo o mundo, interessados em aperfeiçoar os seus conhecimentos e evoluir na carreira.Fiz o curso de primeiro nível em Portugal, mas o Brasil oferece outras aberturas, mesmo ao nível da tecnologia.Não quero dizer que outros países da Europa não tenham, mas acho que, em termos pessoais, foi melhor. Permite-me estar melhor e comunicar também melhor. O próximo objectivo é alcançar a «Licença Pro»”, assegurou o treinador.