Kabuscorp interpõe recurso à FIFA

O Kabuscorp do Palanca interpôs um recurso à FIFA, aguarda o desfecho para  ultrapassar o impasse que o opõe ao TP Mazembe da RDC, sobre a alegada dívida contraída pelo clube angolano, por altura da contratação de Tresor Mputu Mabi.

O Kabuscorp do Palanca interpôs um recurso à FIFA, aguarda o desfecho para  ultrapassar o impasse que o opõe ao TP Mazembe da RDC, sobre a alegada dívida contraída pelo clube angolano, por altura da contratação de Tresor Mputu Mabi.
A alegada dívida custou a redução de seis pontos na tabela de classificação do Girabola2018 (agora tem 16), principal campeonato angolano, por orientação da FIFA, segundo um comunicado recente da filial angolana (FAF).
Num comunicado na página oficial do facebook, o Kabuscorp informa “reiteramos, por esta via, que cumprimos todas as nossas obrigações, nos casos em questão. De formas a repor a verdade dos factos, o clube, através do seu advogado, apresentou recurso à FIFA e está a aguardar o desfecho, na ânsia de ver ultrapassadas as situações adversas que estamos a enfrentar”.
O clube de Bento Kangamba tranquiliza, que apesar do “drama” gerado à volta do caso, “a direcção do Kabuscorp garante que tal situação não afecta o foco da equipa de futebol, e tão pouco abala a estrutura do clube. Somos uma agremiação de bem e que defende princípios assentes na legalidade”.
Além dos seis pontos perdidos, soma já 12 com o “caso” do brasileiro Rivaldo, a equipa do Palanca foi igualmente proibida de registar novos contratos, por incumprimento com os treinadores Romeu Filemon e seus antigos adjuntos (Dombaxi João, Afonso Filho e Kutama Shabani), numa altura em que anunciou a contratação do sérvio Kostadin Papic, para assumir o comando técnico, em substituição do português Sérgio Traguil.