Hendrick queria "quartos" com equipa do Magrebe

O sorteio dos quartos de finais esteve longe de corresponder aos anseios do presidente Carlos Hendrick.

O sorteio dos quartos de finais esteve longe de corresponder aos anseios do presidente Carlos Hendrick. O dirigente confessou, em entrevista ao canal televisivo do 1º de Agosto, que preferia uma equipa proveniente do Norte de África. \"O TP Mazembe não era a equipa que esperava, queria uma equipa do Magrebe. Podia ser uma equipa da  Tunísia ou Egipto\", assegurou.
O querer do responsável máximo do clube militar vai ter de aguardar por uma próxima oportunidade. Pois, o mais importante para ele agora é que o seu 1º de Agosto consiga obter sábado, um resultado esperançoso na primeira mão contra o forte Mazembe. \"Não temos receio de jogar contra eles, vamos ver se conseguimos levar de vencida este adversário em nossa casa\", augurou.
Bem atento a chave do sorteio, Carlos Hendrick anseia ver a sua equipa a juntar-se aos bons para ser como eles. \"O TP Mazembe é um dos mais experientes da prova, mas hoje o 1º de Agosto está entre os 8 melhores dos quartos de final da Champions\", enalteceu.
Os congoleses democratas são adversários indesejáveis, ainda assim o presidente quer que a sua equipa mostre prontidão, na corrida pelo melhor resultado possível. \"Foi essa a equipa que saiu. Estávamos a espera de qualquer uma e quando estamos neste estado, entre os melhores da competição, não podemos ter receio de jogar\", argumentou.
A bola ainda espera do apito inicial para rolar, mas Carlos Hendrick sabe que \"o TP Mazembe não é superior\", embora seja \"mais experiente\". A eliminatória tem 180 minutos, então nos dois jogos os congoleses \"vão ter de suar para passar\" às meias-finais. A direcção do 1º de Agosto tem os olhos no prémio, porém o presidente prefere calar a ter de falar tudo o que tem em mente. \"O objectivo é ganhar jogo após jogo e chegar o mais longe possível\", prognosticou o alto dirigente.
O campeão angolano \"delineou uma estratégia\", para estar entre os melhores do continente. Na entrevista, o presidente dos militares lembrou algumas das adversidades, como a suspensão dos atletas, por causa da ausência nos treinos da selecção que preparava o CHAN, mas tudo foi superado, porque o 1º de Agosto se preparou para estar onde está.
\"Estamos mais maduros do que quando fomos eliminados o ano passado, temos melhor plantel e estamos preparados para qualquer jogo da Champions\", mostrou-se convicto.