Soares continua de pedra e cal

O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, confirmou ontem ao Jornal dos Desportos,  a sua continuidade no comando da equipa para o próximo Girabola Zap.

O técnico do Desportivo da Huíla, Mário Soares, confirmou ontem ao Jornal dos Desportos,  a sua continuidade no comando da equipa para o próximo Girabola Zap que inicia em Outubro, após ter cumprido os objectivos exigidos pela direcção, na época finda.
“Vou continuar a orientar o Desportivo da Huíla, como treinador principal. Cumprimos com todos os objectivos exigidos pela direcção no último Girabola, por isso, voltamos a receber o voto de confiança do clube”, informou o técnico.
O treinador revelou ter um contrato celebrado por quatro anos e mostrou-se confortável e com vontade de continuar a trabalhar, com o objectivo de fazer sempre mais e melhor. Contactado pelo nosso jornal, uma fonte afecta ao clube huílano, disse que o contrato é renovável em função do nível de cumprimento dos propósitos definidos.
As exigências impostas ao treinador, primeiro, passava por manter a equipa na primeira divisão,  segundo, melhorar a sétima posição obtida no Girabola Zap do ano passado, ou seja, figurar entre os sete primeiros classificados na tabela final de pontuação.
Mário Soares, afecto aos quadros técnicos do 1º de Agosto, cumpre a segunda época como técnico principal do Desportivo da Huíla, neste regresso ao clube que aconteceu em 2017, altura em que substituiu o demissionário Ivo Traça. Depois de orientar os militares da Região Sul, nas épocas 2013 e 2014, este ano alcançou mais uma posição que dignifica o clube, ao colocar a equipa nos G6.
Na primeira passagem, como técnico do Desportivo, Mário Soares, angolano de nacionalidade, colocou a formação huilana na primeira divisão em 2012, foi finalista vencido da Taça de Angola, com o Petro de Luanda em 2013, quando foi considerada equipa revelação, levou o grémio militar da Região Sul, pela primeira vez na história, à Taça da Confederação Africana de Futebol.