0 / 0

Libolo em vantagem

Libolenses venceram ontem os petrolíferos da capital no Dream Space por 97-96

A equipa do Recreativo do Libolo viu-se e desejou-se para vencer ontem, no Pavilhão do Dream Space, em Viana, a similar do Atlético Petróleos de Luanda, por escasso um ponto de diferença (97-96), na primeira partida do “play-off” da final da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket, a melhor de sete.

A falta de maturidade competitiva, acabou por ditar a sétima derrota da formação tricolor na presente temporada, que a 48 segundos do fim da partida vencia por quatro pontos de diferença (92-96).

Milton Barros e Andre Herris trataram de oferecer a vitória à sua equipa que parte em vantagem na final da 39ª edição do BIC Basket. A vencer por 97-96, e quando restavam um segundo para o final da partida, a mesa entrou em descoordenação relativamente ao tempo, situação que provocou a paragem de jogo por cerca de dez minutos.

Contra todas as expectativas, a formação do Atlético Petróleos de Luanda entrou de forma avassaladora, ao contrário da equipa caseira, que viu o seu opositor a fazer o parcial de 9-0, quando restavam ainda nove minutos para o termo do quarto inicial.

À organização defensiva, aliada às transições rápidas defesa ataque, apanhando sempre o Libolo em contra pé, permitiu à equipa do Eixo-viário liderar a marcha do marcador até ao fim do primeiro período (18-22).

Depois de estar a perder por 9-0, os actuais vice campeões nacionais começaram a efectuar uma estrondosa recuperação iniciada pelo internacional angolano, Valdelicio Joaquim, que teve o privilégio de marcar os dois primeiros pontos da sua equipa.

Com as duas claques, cada uma a puxar pela sua equipa, os artistas da \"bola\" correspondiam na quadra, proporcionado boas exibições, para  gáudio do público que acorreu ao Pavilhão do Dream Space, em Viana, em grande número.

O segundo período foi o oposto do primeiro, com a equipa visitada a comandar as operações.

Apressão defensiva exercida pelo Recreativo do Libolo, obrigava a equipa visitante a cometer inúmeros erros, principalmente no capital ofensivo.

Com os veteranos Eduardo Mingas, poste de  38 anos de idade, e Olímpio Cipriano, extremo base, 34 anos, os libolenses conseguiram vencer no parcial, por claros 31-21, o que perfez 49-43, ao cabo dos primeiros 24 minutos.

Depois de ser praticamente dominado durante nove minutos, a reação do Atlético Petróleos de Luanda surgiu quando restavam menos de dois minutos para o intervalo maior.

Roberto Fortes, extremo base, Andre Harris, extremo poste, e Eduardo Mingas, poste, todos do Libolo, estavam entre os mais destacados, ao passo que no Atlético Petróleos de Luanda, Hermenegildo Mbunga, poste, era o mais inconformado, com dez pontos.

Sem Olímpio Cipriano e Eduardo Mingas na quadra, isto no início do terceiro período, o jogo ofensivo dos libolenses perdeu alguma qualidade, tendo a formação \"forasteira\" aproveitado para encurtar a vantagem do Recreativo do Libolo de seis pontos para apenas três (53-50).

Os petrolíferos da capital reassumiram a liderança do marcador (61-62), através de um lançamento à longa distância protagonizado pelo internacional angolano, Domingos Bonifácio, quando restavam quatro minutos para o fim do terceiro período. A partir daí, assistia-se a mutações sistemáticas na marcha do marcador, ora lidero eu, ora lideras tu.

O derradeiro quarto foi jogado até a exaustão, onde o equilíbrio era sem margens de dúvidas o principal aditivo.  Quando restavam dois minutos e 39 segundos para o fim da partida, as duas equipas encontravam-se empatadas a 91 pontos.

Reggie Morre, com 29 pontos, foi o cestinha da partida, seguido pelo seu companheiro de equipa, Domingos Bonifácio, com 18. No Libolo, Andre Harris, anotou 26 pontos. Mbunga e Gerson Gonçalves foram os reis dos ressaltos, com sete cada.


O trio de arbitragem constituído por Francisco Tandu, Francisco Pacheco e Cláudio Anderson, com um ou outro erro, não teve influência no resultado final.

As duas equipas voltam a jogar amanhã, sábado, no mesmo recinto.


FICHA TÉCNICA


Pavilhão: Dream Space

Comissário: Nuno Teixeira

Arbitragem: Francisco Tandu, Francisco Pacheco e Cláudio Anderson

Libolo: Francisco Sousa ( 0 ), Olímpio Cipriano  ( 3), Andre Harris ( 26 ), Roberto Fortes ( 19), Elmer Félix ( 5), Jackel Foster (2), Valdelicio Joaquim ( 10), Jorge Tati ( 5 ), Eduardo Mingas (13), Josseney Joaquim (0  ), Benvindo Quimbamba ( 3 ), Milton Barros (11).
Treinador: Hugo López

Petro: Childe Dundão (0  ), Pedro Bastos (8), Erickson Silva (3  ), Zola Paulo ( 0), Josué Enondo ( 2), Teotónio Dó ( 0 ), Leonel Paulo (  11), Domingos Bonifácio ( 18 ), Hermenegildo Mbunga ( 12 ), Joaquim Pedro ( 2 ), Gerson Gonçalves ( 11), Reggie Moore ( 29).
Treinador: Lazare Adingono

Marcha do marcador:
18-22, 49-43, 72-73, 97-96