Fallé põe à disputa lugares

Uma lista de 21 atletas foi ontem divulgada pelo seleccionador nacional, Fernando Fallé, como Pré-Selecção Nacional para o primeiro Campeonato Africano que decorre em Maputo, Moçambique, de 9 a 11 de Novembro próximo.

Uma lista de 21 atletas foi ontem divulgada pelo seleccionador nacional, Fernando Fallé, como Pré-Selecção Nacional para o primeiro Campeonato Africano que decorre em Maputo, Moçambique, de 9 a 11 de Novembro próximo. Da convocatória, saltam à vista as ausências de João Vieira \"Johe\" e Argentino Agostinho que, juntos, apontaram 14 golos no último mundial.
Em três jogos feitos no mundial de 2017,  Johe, que actua no Torres Vedras da segunda divisão portuguesa,  apontou 10 golos, enquanto Tino, jogador da Académica de Luanda, em duas partidas marcou quatro golos.
Fallé divide a preparação em duas fases. A primeira fase decorre de 29 do corrente a 3 de Novembro. Nesta primeira fase, vão trabalhar apenas atletas que evoluem no país. Fallé chamou para esta fase, 16 atletas, dos quais sete da Académica de Luanda, um, da Marinha de Guerra, quatro do Petro de Luanda e outros tantos do 1º de Agosto.
Ao fim da primeira fase, será feita a primeira triagem ao grupo e apenas oito jogadores seguirão à segunda fase, que inicia a quatro de Novembro, já com a integração de cinco jogadores que evoluem na Europa.
Os 13 integrantes da Pré-Selecção vão lutar para estar entre os 10 finais, que seguem viagem a Maputo, no dia sete. O seleccionador convocou os seguintes atletas: Pedro Watanga, Anderson Silva \"Nery\", Adilson Diogo \"Pi\", Márcio Fernandes, Airton Chissangana \"Geovety\", Walter Bernardo, Nilson Miope \"Ny\" e Estevão Dala (Académica de Luanda); Estevão Dala (Marinha de Guerra); Dorivaldo Francisco \"Dori\", Sérgio Lukukurico, Zidane, Bruno (Petro de Luanda); Francisco Duarte \"Chiquinho\", João António \"Jú\", Francisco Luís \"Guedes\" e Beto (1º de Agosto). Da diáspora foram convocados André Centeno (Hóquei Valdano Itália), Francisco Veludo (Hóquei Vercelli Itália), Humberto Mendes \"Big\" (Noia de Espanha), João Pinto (Sporting de Portugal) e Martin Payero (Liceo de la Coruña de Espanha).

ANGOLANOS COBIÇARAM
A Federação Angolana de Patinagem (FAP) chegou a ser contactada pela Federação Internacional de Roller Skate, para acolher a primeira edição do Campeonato Africano de hóquei em patins, deu a conhecer Hirondino Garcia, presidente de direcção da FAP.
O contacto foi feito, esclareceu, porque Moçambique tardava a confirmar àquela instituição, a sua prontidão para acolher a prova.\"Demos o \"sim\", mas à última hora, Moçambique confirmou a prontidão, então achamos bem, até por que os grandes momentos da modalidade no nosso continente foram realizados em Angola, então vamos conhecer outras realidades\", disse.
Hirondino Garcia disse que tem dificuldades de contacto com a similar do Egipto e da África do Sul, pelo que desconhece se ambas vão comparecer na competição.
\"O importante é prepararmo-nos para vencer, seja com duas, três ou quatro equipas\", terminou.
Sobre as condições financeiras para a preparação e participação na prova, disse que a sua instituição tem contactos positivos com o ministério da Juventude e Desportos, o que indica que, oportunamente, as verbas necessárias, cujo valor não avançou, vão ser disponibilizadas.

Preparação
Selecção Nacional viaja sem jogar

A Selecção Nacional prevê realizar 16 sessões de treino em oito dias no país, visando a participação na primeira edição do Campeonato Africano de hóquei em patins, que a cidade de Maputo vai acolher de 9 a 11 de Novembro.
As sessões serão realizadas duas vezes por dia, ao longo dos oito dias de preparação intensiva, que serão divididos entre o Pavilhão Anexo à Cidadela e o Multiuso do Kilamba. Fernando Fallé disse, em conferência de imprensa, que não pretende efectuar nenhum jogo de controlo no país.
O treinador justificou com o facto de não puder contar com todos os atletas, nos dias de preparação. "Se tivéssemos a selecção toda junta, seria benéfico, mas temos atletas que só chegam a quatro de Novembro e no dia 12 precisam voltar, não vai ser possível", comentou.
Estão inscritos no Campeonato Africano, o Egipto, África do Sul, Angola e Moçambique que são favoritos. Angola foi 5ª classificada do último mundial, enquanto Moçambique foi 8º. A África do Sul quedou-se na 13ª posição, enquanto o Egipto foi 16º classificado.
O seleccionador nacional disse desconhecer o actual momento das equipas adversárias, mas indicou Moçambique como alvo a abater.
"Por muito que se prepare, a África do Sul e Egipto não são nossos adversários, em função do grande desnível que temos. Moçambique, a jogar em casa, é um adversário a ter em conta. Tem jogadores profissionais e é a única equipa africana que uma vez esteve nas meias finais, mas o nosso objectivo é vencer o torneio, porque só há uma vaga para África na elite do mundial", admitiu.