Fernas Baptista é campeão de Luanda

Há campeão em Luanda. Fernas Baptista festejou no sábado, no circuito Jorge Varela, a conquista do primeiro título do campeonato provincial de motocrosse na sétima e penúltima prova do calendário da época 2019.

Há campeão em Luanda. Fernas Baptista festejou no sábado, no circuito Jorge Varela, a conquista do primeiro título do campeonato provincial de motocrosse na sétima e penúltima prova do calendário da época 2019. Com a consagração, o piloto do Team Transchipeta junta-se à lista restrita de campeões, na qual também consta o namibiano Ruhan Gous, vencedor das duas últimas edições.
Fernas Baptista logrou a vitória numa prova marcada pela ausência de Zé Cazenga, o principal adversário ao longo da época. O piloto individual e o mais titulado do ranking viu-se abraços com a avaria da sua motorizada. Por outro lado, o campeão provincial sofreu a penalização na segunda manga.
O título não chegou de \"cazola\" (gíria desportiva que significa de graça, borla, sem esforço). O campeão travou fortes despiques com a nova geração que exibiu elevado nível técnico.
Fernas Baptista entrou na pista ciente de que a consagração dependia da obtenção de escassos pontos. Uma classificação modesta era o suficiente  para celebrar de forma antecipada. As seis vitórias obtidas na presente época constituíam \"conforto\"  para chegar ao topo da classe rainha do motocrosse \"mais nacional\".
Na primeira manga, o piloto de Benguela venceu de forma convincente. Augusto Congo \"Augugo\", Branquinho Pina, Garcia Silva e Alfredo Chilola foram os adversários mais expressivos,  que se limitaram a ostentar o título de \"potenciais candidatos\" para as próximas edições do provincial de Luanda.
Na segunda manga, Fernas Baptista foi à pista com o rótulo de campeão e restava-lhe pôr a \"cereja no topo de bolo\". A ânsia, no seio dos presentes era grande. Quando tudo caminhava para o término espectacular, o benguelense deixou passar os adversários na penúltima volta. No intuito de recuperar a liderança, imprimiu velocidade máxima e não evitou a colisão com um dos oponentes a escassos metros da meta. O incidente resultou na desclassificação e a acção defraudou a expectativa dos seus fãs.
Diante da situação aparatosa do campeão, Augusto Congo \"Augugo\" aproveitou-a bem e chamou a si a vitória e a conquista da terceira edição do Grande Prémio Paddock, secundado por Branquinho Pina e de Garcia Silva \"Bumbo\", jovens que ascenderam à categoria rainha há pouco menos de três anos. Pina e Bumbo notabilizaram-se na categoria de 125cc.
No final, Augugo transbordava de alegria pela conquista da primeira vitória da época e por  quebrar uma sequência de seis vitórias de Fernas Baptista. O jovem piloto não participou da jornada inaugural e ficou quase sempre na terceira posição nas provas subsequentes.
Por falhar a conquista do troféu Paddock, Fernas Baptista manifestou-se inconformado. A prenda teria melhor apetrechado a folha de serviço. Por outro lado, sentiu-se regozijado por acrescentar ao currículo mais um título de campeão, que se junta aos outros dois do Campeonato Angolano de Motocross.
Na classe dos 450cc, Edson Miranda \"Roquinho\" apareceu galvanizado e venceu o GP Paddock. Relegou para as posições imediatas, Leonardo Gonçalves e Bruno Ferreira \"Agai\".
Nos 150cc, Augusto Carvalho solidificou a liderança ao bater na concorrência Orlando Ribeiro, Herculano Tchilombo, António Silva, Cacau Talaia, entre os demais concorrentes.
A última jornada do Provincial de Luanda está marcada para Novembro, no âmbito dos festejos do Dia da Independência Nacional (11). Por esse motivo, a Associação Provincial de Motocross de Luanda trabalha em parceria com as autoridades da província e demais parceiros na criação de condições para um evento com pompa e circunstância.