Márquez festeja vitória

Piloto  espanhol confirmou o  tetra -campeonato domingo no Grande Prémio de Valência

O resultado da final da MotoGP em 2017, em Valência, não teve grandes surpresas. Marc Márquez chegou à prova como o amplo favorito ao título, confirmou o tetra-campeonato, apesar de passar por um grande susto, pois que o seu rival, Andrea Dovizioso, caiu. A prova teve a vitória de Dani Pedrosa.
Márquez precisava apenas de um 11º lugar para sacramentar a disputa na pontuação contra Dovizioso, fez uma  prova segura na maior parte do tempo. Manteve a primeira posição na largada, mas Johann Zarco, da Tech 3, teve um início alucinante – primeiro, superou Pedrosa, e poucas voltas depois, deixou a outra Honda para trás e assumiu a ponta.
Márquez passou a perseguir o francês na vice -liderança, sempre com a protecção do parceiro Pedrosa, que vinha em terceiro. Enquanto isso, Dovizioso precisava necessariamente de vencer para alcançar a possibilidade de título, mantinha-se em quinto, atrás do seu colega na Ducati, Jorge Lorenzo.
Nesse momento, Lorenzo e Dovizioso perderam o contacto com Pedrosa, o que deixava o italiano com possibilidades ainda mais remotas na prova. Na 12 voltas para o fim, a Ducati ordenou para que os seus pilotos trocassem de posição – o que não foi obedecido, uma vez que as possibilidades do título para Dovizioso eram nulas, com a boa posição de Márquez.
A oito voltas do fim, Márquez ganhou confiança e decidiu atacar Zarco, que não ofereceu resistência na disputa. Porém, poucas curvas depois, o espanhol por pouco não caiu – chegou a ficar de lado e conseguiu salvar-se, mas precisou passar recto e perdeu terreno, caiu para quinto lugar.
A Ducati ganhou uma injecção de confiança, com o contratempo de Márquez, mas durou pouco: segundos depois, os seus pilotos (primeiro Lorenzo, depois Dovizioso) caíram, o que definiu matematicamente o título. “Dovi” conseguiu regressar as boxes com a sua moto,  foi amplamente aplaudido pela sua equipa, mas a disputa já estava definida.
Com isso, a disputa pela vitória ficou restrita a Zarco e Pedrosa. O piloto da Honda atacou num primeiro momento, mas sofreu o “X” na volta final, fez um ataque decisivo e deixou Zarco para trás, garantiu a ponta.
Assim, Márquez, de 24 anos, garantiu o seu quarto título mundial em cinco temporadas disputadas na principal categoria de motovelocidade. Quanto a Yamaha fez a corrida para lá de apagada. Valentino Rossi largou em sétimo, foi apenas o quinto. Maverick Viñales, 13º na grelha, cruzou em 12º lugar.
A única opção que Andrea Dovizioso tinha, para tirar o título da MotoGP de Marc Márquez, era impor-se na corrida. No entanto, o italiano não mostrou nenhum ritmo durante o fim de semana. Ao contrário, era Jorge Lorenzo, um passo à frente do seu companheiro de equipa, mostrou-se um dos melhores.
Na largada, Lorenzo não foi capaz colocar-se na frente e disparar. O espanhol ficou atrás de Zarco, Márquez e Pedrosa, e com Dovizioso na sua roda, que ficou preso atrás dele desde o início. À medida que as voltas progrediam, mostraram a Lorenzo uma mensagem a pedir \'mapeando 8\', uma mensagem secreta para dar a posição para Dovi.
Lorenzo reconheceu todas as advertências, mas ignorou, por considerar que ir na frente do seu colega de equipa, podia ajudá-lo a superar os líderes como o próprio Dovizioso reconheceu, ao terminar a corrida.
“Ao contrário de Sepang, onde eu não o vi, sempre vi a mensagem e sabia que a melhor coisa para os meus interesses da Ducati e de Dovizioso, era continuar a puxar. Ele mesmo disse que era o melhor\", disse Lorenzo.