Mundial regressa amanhã com o Grande Prémio do Japão

Espanhol Márquez pode reforçar liderança na prova rainha no Grande Prémio do Japão

Os Mundiais de MotoGP e de Moto2 estão volta após três semanas de paragem para voltarem para uma ronda tripla pela Ásia e pela Austrália em fins de semana consecutivos.

O regresso faz-se com o GP do Japão, no Circuito de Motegi, onde Honda e Yamaha quererão seguramente brilhar em frente ao seu público, mas, também, com a Ducati a ter de ser incluída em mais este trio.

É o reflexo do que se passa no campeonato da categoria rainha com o campeão do mundo, Marc Márquez (Honda), a liderar a classificação, como 224 pontos, e Andrea Dovizioso (Ducati) a 16 de distância e Maverick Viñales (Yamaha) a 28.

No Moto2, Miguel Oliveira já assumiu que o seu objectivo é reforçar o terceiro lugar que detém com dois pontos de vantagem sobre Álex Márquez.

A luta que centra mais as atenções, porém, quando faltam quatro corridas para o final do calendário, é a que Franco Morbidelli e Thomas Luthi travam pelo título mundial. O italo-brasileiro lidera o campeonato com 21 pontos de vantagem sobre o suíço.

Estes são motivos mais do que suficientes para acompanhar o GP do Japão que, no país do sol nascente, obrigará a ter o relógio debaixo de olho já nesta madrugada.

O Mundial ainda tem quatro corridas em ‘agenda’, sendo os grandes prémios de Japão, Austrália, Malásia e Comunidade Valenciana.

Recorde-se que o piloto espanhol Marc Márquez (Honda) obteve há cerca de três semanas a quinta vitória da época na categoria de MotoGP, ao ganhar no Grande Prémio de Aragão, isolando-se na liderança do Mundial de motociclismo após 14 provas.

Marquéz, campeão mundial em título, dividia a liderança com Andrea Dovizioso (Ducati), mas o sétimo lugar do italiano no circuito MotorLand, em Alcañiz, Espanha, em Aragão, lhe deu apenas nove pontos, deixou o espanhol sem companhia no comando.

Na Moto 2, o italiano Franco Morbidelli (Kalex) também consolidou a liderança após a última corrida, na qual o português Miguel Oliveira (KTM) foi terceiro classificado
e ascendeu a terceiro no Mundial da categoria intermédia.

Já na categoria de menor cilindrada, de Moto 3, o triunfo na prova de 24 de Setembro foi para o líder do Mundial, o espanhol Joan Mir (Honda), que também conseguiu reforçar a sua posição, tendo em conta que o italiano Romano Fenati, segundo no Mundial, foi décimo na corrida.