Petrolíferos e militares lutam pelas meias-finais

O Petro de Luanda, finalista derrotado no ano passado, pode ser arredado das meias-finais da edição deste ano da Taça de Angola, caso perca a disputa do passe diante do 1º de Agosto.

O Petro de Luanda, finalista derrotado no ano passado, pode ser arredado das meias-finais da edição deste ano da Taça de Angola, caso perca a disputa do passe diante do 1º de Agosto. As duas equipas descem hoje e amanhã ao piso do pavilhão anexo da Cidadela Desportiva,  para definirem (em duas mãos) o último passe para a fase derradeira da prova.
 Os petrolíferos, às ordens de Benevides de Almeida, apresentam-se com uma equipa jovem em busca da surpresa, para chegar o mais longe possível.
Depois de terem falhado a final da Taça de Angola, no ano passado, os militares novamente sob a batuta do português António Gaspar, vão tentar reencontrar o caminho da disputa da final. Para a meia-final, já estão apuradas as equipas do Estado - Maior, Académica de Luanda e Instituto Superior Técnico Militar.
A meia-final também se joga à duas mãos, está aprazada para os dia  21 e 22 do corrente.
O vencedor da eliminatória entre o Petro de Luanda e 1º de Agosto vai defrontar a equipa do Estado -Maior, enquanto a Académica de Luanda, detentora do troféu, vai defender o passe para a final, diante dos estudantes do Instituto Superior Técnico Militar. A final joga-se no dia 29 do corrente.