Ramiro Barreira enaltece pilotos

O presidente da Federação Angolana dos Desportos Motorizados, Ramiro Barreira, considerou no Lubango, província da Huíla, os pilotos e as pessoas ligadas a modalidade “autênticos heróis”.

O presidente da Federação Angolana dos Desportos Motorizados, Ramiro Barreira, considerou no Lubango, província da Huíla, os pilotos e as pessoas ligadas a modalidade “autênticos heróis”.

Ramiro Barreira justificou serem verdadeiros heróis porque pelos sacrifícios exigidos, são capazes de sair das suas províncias para Luanda, Huíla, Benguela, Cuanza Sul, Huambo e vice-versa para participar em provas num momento difícil para o país sem recursos financeiros.

 “Todos aqueles que estão a engrandecer este desporto motorizado, principalmente os pilotos, as pessoas que estão ligadas a modalidade, temos que dar os nossos parabéns e felicita-los porque são eles os verdadeiros heróis para que o desporto motorizado em Angola esteja firme.
Com os sacrifícios que são exigidos, com tudo o que eles fazem, são capazes de sair por exemplo do Namíbe para Luanda, Huíla, Benguela, Cuanza Sul e vice-versa para competir mesmo sem meios financeiros”, qualificou.

 O dirigente federativo sublinhou que o país todo tem um grande viveiro de novos talentos que despontam no desporto motorizado. Por isso, a federação tem que dar oportunidades para que as pessoas trabalhem nos valores que surgem.

 “Os novos talentos que despontam, estão aí. A nível da Huíla temos o miúdo Adilson Pinto, de apenas 18 anos. Por isso, a nível da federação temos que trabalhar para ver se conseguimos metê-lo à nível de competições internacionais. Vamos trabalhar para ver se conseguimos lhe meter eventualmente a fazer provas num país europeu com muita tradição ao nível do motociclismo”, assegurou.

Ramiro Barreira admitiu que o jovem piloto huilano Adilson Pinto “Rango”, na categoria das motos EVO600cc possui um potencial muito grande que deve ser bem trabalhado.

 “O diamante está ali. Agora é preciso lapida-lo bem. A Huíla foi sempre um viveiro de bons pilotos nomeadamente Fiório, Riquito, entre outros. Há também um conjunto de componentes noutras províncias Namíbe, Benguela, Luanda, Cuanza Sul, Huambo. Em suma, o país todo tem um grande viveiro e temos que dar oportunidades para que as pessoas trabalhem”, destacou.

O presidente da Federação Angolana dos Desportos Motorizados (FADM), anunciou que o órgão que dirige tem em carteira várias competições.

Citou ter agendado provas de karting, rally, entre outras e acrescentou que ao nível do motociclismo e automobilismo, tem perspectivado a realização do Grande Prémio “Zé Dú”, na província do Huambo, no âmbito das festas daquela cidade.

 “Provavelmente vamos ter o Grande Prémio Zé Dú para ver se realizamos isso no Huambo no âmbito das festas da cidade e estamos a trabalhar ainda. Mas enquanto não tivermos a certeza e resposta do Governo do Huambo, não devemos fazer também o anunciou oficial”, referiu. 

 Ramiro Barreira explicou que em relação a presença de pilotos estrangeiros em provas nacionais, “no futuro teremos concorrentes de outros países”. 

Actualmente, adiantou que a situação está difícil. “Para trazer pilotos estrangeiros, nós temos que melhorar um pouco os nossos níveis não diria de organização, mas a capacidade financeira para tê-los. Eles (pilotos) para virem precisam de outras condições que nós nesta altura não temos. Mas vamos aguardar. Já tivemos aqui pilotos estrangeiros a correr. A nossa promessa é que no futuro vamos ter pilotos estrangeiros a correr em provas nacionais”, tranquilizou.