0 / 0

Eduardo Mingas termina ciclo sem brilho

Eduardo Mingas, poste do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto) e da Selecção Nacional, de 40 anos de idade, encerrou ontem o seu ciclo nos hendecacampeões africanos, com exibições menos conseguida na 18ª edição da Copa do Mundo, competição que caminha para a sua recta final.

Eduardo Mingas, poste do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto) e da Selecção Nacional, de 40 anos de idade, encerrou ontem o seu ciclo nos hendecacampeões africanos, com exibições menos conseguida na 18ª edição da Copa do Mundo, competição que caminha para a sua recta final.
Depois de ter realizado uma época bastante positiva ao serviço da sua colectividade a nível doméstico, culminando com a conquista do troféu de MVP (Jogador Mais Valioso) da primeira edição da Afroliga, Eduardo Mingas que somou a sua quinta presença em fases finais da Copa do Mundo, não conseguiu brilhar no adeus à Selecção Nacional que falhou o apuramento directo aos Jogos Olímpicos de Tóquio.
Após ter falhado a partida frente ao Irão, por opção técnica, Eduardo Mingas que fez a sua estreia na Selecção Nacional em 2005, no Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, de Argel, capital argelina,  voltou a não sair do banco, tendo se limitado a apoiar os seus companheiros que não conseguiram vergar os tunisinos.
Apesar da sua experiência, o seleccionador nacional, Will Voigt abdicou-se por e simplesmente dos préstimos do internacional angolano que havia integrado os trabalhos da pré-selecção nacional tardiamente, em virtude de ter perdido o seu pai.Aliás, durante o estágio pré-competitivo do cinco nacional, realizado na República Popular da China e Coreia do Sul, respectivamente, Eduardo Mingas foi pouco utilizado pelo seleccionador nacional, Will Voigt.
Dos cinco jogos que o combinado nacional efectuou na 18ª edição da Copa do Mundo, Eduardo Mingas jogou apenas duas partidas, tendo falhado três. Diante da Sérvia, Mingas actuou por apenas cinco minutos e 34 segundos, ao passo que diante da Itália jogou durante quinze minutos e 38 segundos. Diante das Filipinas, Irão e Tunísia, o atleta não saiu do banco dos suplentes.Olímpio Cipriano, extremo base do Atlético Petróleos de Luanda, também foi um dos atletas pouco utilizado, a par de poste, Hermenegildo M´bunga.     

HOMENAGEM
FIBA honra Mingas no adeus a Selecção


O veterano poste Eduardo Mingas, 40 anos, 1,98 metros, com o registo de único angolano a disputar cinco Campeonatos do Mundo sénior masculino de basquetebol, mereceu honras da FIBA, e foi testemunhado além dos colegas de equipa e jogadores adversários, por perto de 12 mil espectadores, presentes no Pavilhão Wukeson Sport Center, na cidade de Beijing, China.
Mingas diz que doravante dedicar-se-á somente ao seu clube, 1 de Agosto. O possante atleta, sai de cena com 23 partidas disputadas, as mesmas do antigo capitão, Joaquim Gomes "Kikas".
E o próprio reconhece-o "o meu último jogo foi contra a Itália, por que nunca fiz parte das opções, infelizmente". Questionado se deixa o convívio dos hendecacampeões magoada o atleta garante: "não, mas parto numa boa altura".
   Estreado em 2002, no Mundial de Indianápolis, nos Estados Unidos, seguindo-se presenças em 2006, no Japão, 2010, na Turquia, 2014, em Espanha, e 2019, na China.
Na 18ª edição do Mundial, disputou somente dois jogos. O primeiro frente à Sérvia, em que mereceu a confiança do seleccionador nacional, William Bryant Voigt, apenas durante cinco minutos e 34 segundos, dos 40 reservados para o encontro. Neste desafio o Rei Leão, uma das alcunhas pela qual é tratado no balneário pelos colegas, converteu dois pontos. Contra à Itália fez 15 minutos e 38 segundos, e voltou a marcar os mesmos pontos.  

Anaximandro Magalhães | Beijing