0 / 0

M’bunga e Pontes lamentam extinção

Fim do basquetebol na marinha

Divaldo M´bunga e Vladimir Pontes, directores para o basquetebol do Petro de Luanda e do Interclube, lamentaram, em declarações ao Jornal de Angola, a extinção da equipa sénior masculina do Desportivo da Marinha de Guerra, alegadamente por problemas administrativos.
Para ambos, a direcção do 1ºde Agosto pecou ao terminar com a equipa uma vez que os marinheiros tiveram sempre bom desempenho no Campeonato Nacional.
Segundo M’bunga, com a saída de cena da Marinha quem perde é o Campeonato Nacional, que fica reduzido em termos de equipas, apesar da entrada do Clube Desportivo 1ºde Agosto-Academia, que vai ser treinado por José Carlos Guimarães.
\"Sabemos o quão boa foi aquela equipa. A sua saída deixa a prova mais amputada, porque era composta por jovens atletas com muito potencial. Pois, durante esse tempo conseguiu fornecer muitos bons jogadores à equipa sénior do 1ºde Agosto, falo do Gilson Bango, Tárcio Domingos, Juscelino Ricardo entre outros. Portanto, é uma pena\".
Já Vladimir Pontes defende que os militares não deviam ter acabado com a equipa de basquetebol da Marinha de Guerra, até para manutenção do número de equipas na prova.
A seu ver, a formação da Marinha estava a desenvolver um bom trabalho, formava bons jogadores e dava boa réplica aos adversários.
\"Enquanto dirigentes e adeptos ficávamos felizes com este desempenho da equipa.
É evidente que o campeonato vai perder alguma qualidade uma vez que a equipa vinha a crescer e a dar um outro alento. A extinção torna a nossa competição interna mais débil. Embora acredite que o 1ºde Agosto deve, certamente, ter as suas razões. Mas penso que foi penosa a decisão, porque temos um campeonato com poucas equipas\".
A extinção da Marinha deu lugar à criação do Clube Desportivo 1ºde Agosto -Academia.